A HISTÓRIA APOSENTADA NO TD GARDEN

Quando ouço o nome Boston Celtics, a primeira coisa que vem na minha mente é tradição e história, afinal a franquia é uma das mais antigas, tradicionais e vitoriosas de toda a NBA, e uma forma de reconhecer todos aqueles integrantes da equipe que integraram os dias de glória da franquia, a direção pode optar por "aposentar" a sua camisa, onde ela apartir da data sobe ao teto do ginásio da franquia e deste dia em diante mais nenhum outro jogador pode utilizar essa numeração.


Nenhum time na história da NBA tem mais títulos do que o Boston Celtics – pelo menos ainda não – então faz sentido que não haja outra franquia com mais números aposentados para homenagear os jogadores que ganharam e penduraram esses banners ao longo das décadas.


Na verdade, nenhum time em qualquer esporte tem mais camisas aposentadas do que as 25 do Celtics, um reflexo da excelência por trás da mística do Celtics construída pelo arquiteto da franquia Red Auerbach. Desde sua chegada a equipe como treinador e gerente geral, Boston se tornou uma das principais franquias da maior liga de basquete do planeta.


Mas quem eram os jogadores para os quais essas camisas foram aposentadas após a última adição do Hall da Fama, Kevin Garnett? Vamos dar uma olhada.


Ed Macauley, nº 22, e Bob Cousy, nº 14 — 26 de outubro de 1963

Macauley e Cousy foram os primeiros jogadores terem seus números aposentados, ambos na mesma noite em 1963. (A equipe lista a aposentadoria como acontecendo em 16 de outubro, a primeira noite da temporada 1963-64 e o primeiro jogo após a aposentadoria de Cousy , mas a cerimônia real foi realizada 10 dias depois.)

Macauley jogou pelo Celtics de 1950 a 1956, sendo All-Star em cada uma dessas temporadas, e teve uma média de quase 19 pontos e 8 rebotes por jogo em Boston. Macauley, junto com Reggie Lewis, é um dos dois únicos jogadores do Celtics cujos números de camisa estão aposentados que não ganharam um campeonato com a equipe; seu St. Louis Hawks, a quem se juntou em 1956-57, perdeu uma final de sete jogos para o Celtics naquele ano pelo primeiro campeonato de Boston.


Cousy jogou 13 temporadas pelo Celtics e foi All-Star em cada uma delas, vencedor do prêmio de MVP da liga em 1956-1957 ele teve uma média de 7,6 assistências por jogo, a lenda ainda foi o lider de assistências na NBA oito vezes.


Walter Brown, nº 1 — 17 de outubro de 1964

Walter Brown criou a equipe em 1946 e permaneceu como proprietário até sua morte em 7 de setembro de 1964. Brown foi o presidente do Boston Garden original, o presidente da equipe do Boston Bruins na década de 1950, e desempenhou um papel fundamental na criação da NBA e do All-Star Game da liga. Ele foi introduzido no Halls da Fama do Hóquei (1962) e do Basquete (1965).


Tom Heinsohn, nº 15, e Bill Sharman, nº 21 - 15 de outubro de 1966

Na noite em que os Celtics ergueu seu oitavo Banner no TD Garden, eles também imortalizaram mais duas estrelas.


Heinsohn jogou toda a sua carreira de nove temporadas com os Celtics e conquistou o título de campeão da NBA em todas, exceto a primeira. Ele teve uma média de 18,6 pontos por jogo e 8,8 rebotes como ala-pivô. Heinsohn se aposentou em 1965, mas voltou como treinador do Celtics de 1969 a 1978, vencendo mais dois campeonatos da NBA nas temporadas 1973-1974 e 1975-1976. Ele acumulou um recorde de 427 vitórias e 263 derrotas como técnico do Celtics, o segundo maior número de vitórias na história do time.


Sharman jogou pelo Celtics em 10 de suas onze temporadas na NBA. Ele marcou pouco mais de 18 pontos por jogo como armador e foi oito vezes All-Star, sete vezes All-NBA. Seu aproveitamento de lances livres na carreira foi de 88,3%.


KC Jones, nº 25 — 23 de outubro de 1968

Jones jogou como armador pelo Celtics durante todos os oito títulos consecutivos da equipe, e suas 2.908 assistências o coloca em nono entre os jogadores do Celtics. Jones voltou ao Celtics como assistente técnico em 1977 e assumiu as rédeas como treinador principal por cinco temporadas na década de 1980, vencendo dois campeonatos da NBA. Suas 308 vitórias são a quarta maior na história da franquia.


OBS: A equipe cita 12 de fevereiro de 1967, como a data da aposentadoria do número de Jones. No entanto, Jones jogou mais 30 jogos após essa data, pois estava no meio de sua temporada final. (O Philadelphia 76ers encerrou a série de oito títulos consecutivos da equipe nas finais da Conferência Leste em 11 de abril.) A cerimônia em homenagem a ele foi realizada antes do terceiro jogo da temporada 1968-69.


Sam Jones, nº 24 — 9 de março de 1969

Jones jogou pelo Celtics de 1957-1969 e, depois de anunciar no verão que 1968-69 seria sua última temporada, teve seu número aposentado durante a temporada.

Ele ganhou 10 campeonatos da NBA, fez parte do time All-Star cinco vezes e teve uma média de quase 18 pontos por jogo durante sua carreira. Jones jogou em três posições diferentes durante seu mandato no Celtics - armador, armador e ala-pivô - e ficou atrás apenas de Bob Cousy em pontos marcados pela franquia quando se aposentou, ele é o sétimo atualmente.


Bill Russell, nº 6 — 12 de março de 1972

Russell era único, e sua aposentadoria não foi diferente. De acordo com o The Boston Globe, Russell evitou a honra por três anos, depois insistiu que a cerimonia fosse “sem multidão presente", e assim foi… cinco minutos antes do TD Garden abrir as portas para a multidão que assistiria ao jogo daquele dia contra os Knicks.


O número 6 está entre os maiores de todos os tempos do basquete. Jogando de 1956-1957 a 1968-1969, Russell ganhou o prêmio de Jogador Mais Valioso da NBA cinco vezes e ganhou 11 campeonatos em suas 13 temporadas, sendo os dois últimos durante suas três temporadas como jogador/treinador. Russell não é apenas o líder da franquia Celtics em rebotes totais com 21.620, ele está mais de 10.500 rebotes à frente do número 2 da lista, Robert Parish. Ele é o segundo em rebotes na história da NBA, perdendo apenas para Wilt Chamberlain.


Tom 'Satch' Sanders, nº 16 — 20 de janeiro de 1973

Sanders jogou 13 temporadas pelo Celtics como ala-pivô nos títulos da equipe na década de 1960. Um dos jogadores mais antigos, seus 916 jogos na carreira disputados o coloca como sétimo na história da franquia em jogos disputados. Sanders é mais lembrado por sua habilidade defensiva, nomeado para o segundo time defensivo da NBA nas temporadas 1968-1969. Sanders foi o treinador principal da equipe nas temporadas 1977-1978 e 1978-1979.


OBS: Sanders não havia anunciado sua aposentadoria em 20 de janeiro, quando o time realizou a “Tom Sanders Night” durante um jogo contra o Seattle, mas ele se aposentou no final da temporada e foi prontamente nomeado treinador do time de basquete de Harvard.


Don Nelson, nº 19 — 15 de dezembro de 1976

Nelson não chegou a Boston até a temporada 1965-1966, sua quarta na NBA, mas quando o fez, permaneceu na equipe por 11 temporadas com média de 10 pontos e quase cinco rebotes por jogo durante sua carreira. Seus 872 jogos disputados com a franquia ocupam o oitavo lugar.

A carreira de treinador de Nelson durou 31 temporadas, abrangendo os Bucks, duas passagens pelos Warriors, os Knicks e os Mavericks. Ele foi introduzido ao Hall da Fama como treinador em 2012.


OBS: Os Celtics citam o número de Nelson sendo aposentado em “1978”, mas na verdade foi aposentado bem antes, quando seu Milwaukee Bucks perdeu um jogo no Boston Garden durante seu primeiro mês como treinador da NBA. “Serei a maior pergunta trivial no Garden em cerca de quatro anos”, disse ele, segundo o Globe. “Eles vão olhar para cima e dizer: 'Ei, quem é o número 19?”


Jim Loscutoff, Loscy — 8 de abril de 1977

Loscutoff jogou pelo Celtics durante sua carreira de nove anos na NBA, de 1955 a 1964. Ele jogou em seis times campeões do Celtics e teve uma média de cinco rebotes por jogo em sua carreira. Loscutoff era conhecido como "Loscy" e "Jungle Gym" em seus dias de jogo por sua presença intimidadora na quadra.

De acordo com o Celtics, Loscutoff pediu ao time que não aposentasse sua camisa nº 18 para que outro jogador pudesse usá-la no futuro.


John Havlicek, nº 17 — 13 de outubro de 1978

Havlicek é o jogador mais antigo do Celtics de todos os tempos, acumulando 1.270 jogos em uma carreira de 16 temporadas. Jogando tanto ala como ala-armador, ele foi o maior pontuador da NBA ao longo de sua carreira (1962-78) por mais de 4.200 pontos, e continua sendo o líder da franquia em arremessos feitos e tentados, segundo em assistências e pontos. Ele marcou pouco mais de 20 pontos por jogo.


Dave Cowens, nº 18 — 8 de fevereiro de 1981

Cowens jogou como pivô e ala-pivô pelo Celtics desde sua temporada de estreia em 1970-1971 até 1979-1980, e foi All-Star da NBA em todas, exceto em duas dessas temporadas. Cowens marcou pouco mais de 18 pontos por jogo durante esses anos, uma das principais ameaças de pontuação ao lado de John Havlicek e JoJo White. Dan Shaughnessy , do The Globe, declarou certa vez que “trouxe os Celtics de volta do esquecimento depois que eles atingiram o fundo do poço após a aposentadoria de Russell”.


Cowens ganhou dois campeonatos da NBA com o Celtics em 1974 e 1976. Ele foi o novato do ano de 1970-1971, e MVP em 1972-1973, e ocupa o terceiro lugar em rebotes totais dos jogadores celtas

.


JoJo White, nº 10 — 9 de abril de 1982

JoJo White jogou 10 temporadas com os Celtics, juntando-se pela primeira vez ao time em 1969 e atuando como armador ao longo da década de 1970. Ele foi membro das equipes campeãs do Celtics em 1974 e 1976, marcou mais de 18 pontos por jogo e foi nomeado MVP das Finais da NBA em 1976. White foi sete vezes All-Star da NBA e é sétimo em assistências e 10º em pontos entre os jogadores do Celtics.


Arnold 'Red' Auerbach, nº 2 - 4 de janeiro de 1985

Como Walter Brown, Auerbach nunca jogou pelo Celtics, mas sua dedicação de quase toda a vida à organização rendeu a aposentadoria do número 2 em sua homenagem.

Auerbach treinou o Celtics por 16 temporadas (1950-1966) e venceu 795 jogos, mais do que qualquer outro treinador do Celtics. Suas equipes venceram nove campeonatos em 10 temporadas, além de integrar o basquete; Auerbach fez de Chuck Cooper o primeiro jogador negro convocado para a NBA, jogou como o primeiro quinteto titular totalmente negro da liga e fez de Bill Russell o primeiro treinador negro da NBA quando Auerbach o nomeou como seu substituto. Depois de se aposentar como treinador, Auerbach continuou como executivo do Celtics até sua morte em 2006, atuando como gerente geral, presidente da equipe e vice-presidente da franquia em diferentes momentos.


Dennis Johnson, nº 3 — 13 de dezembro de 1991

Johnson é uma raridade entre os aposentados do Celtics, pois seu tempo com a equipe foi somente na segunda metade de sua carreira.


O armador ingressou no Celtics na temporada 1983-1984 aos 29 anos, depois de dividir a primeira metade de sua carreira entre as franquias SuperSonics e Suns. Ele marcou menos pontos aqui, caindo de 15 para 12 por jogo, mas seu total de assistências dobrou e ele foi uma peça-chave das equipes campeãs em 1984 e 1986. Johnson retornaria ao Celtics como assistente técnico de 1993-1997.


Larry Bird, nº 33 — 4 de fevereiro de 1993

Bird jogou como ala pelo Celtics durante toda a sua carreira de 12 anos e foi a peça central das equipes campeãs do Celtics na década de 1980. Ele teve uma média de 24 pontos, mais de seis assistências e quase duas roubadas de bola por jogo ao longo de sua carreira.


Bird foi o novato do ano de 1979-1980, um All-Star em todas as temporadas que jogou, exceto uma (ele se machucou em 1988-1989 e jogou apenas seis jogos), ganhou o prêmio de jogador mais valioso da liga três vezes e foi o MVP das Finais duas das três vezes que ele venceu o campeonato como jogador. De acordo com a Basketball-Reference, Bird é o terceiro maior pontuador na história entre os jogadores celtas, o segundo maior número de pontos por jogo e o segundo maior número de roubos de bola por jogo.


Kevin McHale, nº 32 — 30 de janeiro de 1994

McHale era um marco dos Celtics na década de 1980, tanto ofensivamente quanto defensivamente. Aqui, de 1980 a 1993, o atacante foi nomeado para a equipe defensiva da liga seis vezes, sete vezes All-Star e ganhou o prêmio Sixth Man duas vezes. Quinto em pontos, seus 1,7 bloqueios por jogo continuam sendo o maior número de qualquer jogador do Celtics de todos os tempos.


Reggie Lewis, nº 35 — 22 de março de 1995

A parada cardíaca encerrou a vida de Lewis tragicamente em 27 de julho de 1993. Ele tinha apenas 27 anos e seis temporadas em uma carreira promissora. O jogador foi All-Star em 1991-92 e teve uma média de mais de 20 pontos por jogo em seus dois últimos anos, o último dos quais o time o fez capitão.

Robert Parish, nº 00 - 18 de janeiro de 1998

Parish passou 14 de suas 21 temporadas da NBA com os Celtics, mas suas temporadas mais brilhantes foram como pivô do time de 1980 a 1994 como parte do “Big Three” com McHale e Bird. Parish é o segundo de todos os tempos em jogos disputados pelo Celtics, o segundo em rebotes totais, o quarto em pontos e lidera o time em tocos totais. "The Chief", como era chamado, teve uma média de 16,5 pontos e 1,5 bloqueios por jogo com os Celtics e foi All-Star nove vezes aqui. A cerimônia da aposentadoria da camisa foi a primeira a ser realizada no Fleet Center, hoje conhecido como TD Garden.


Cedric Maxwell, nº 31 - 15 de dezembro de 2003

Maxwell jogou os oito primeiros de sua carreira de 12 temporadas na NBA com os Celtics de 1977 a 1985 como ala-pivô. Durante seu tempo com os Celtics, Maxwell liderou a equipe em rebotes ofensivos e porcentagem de arremessos, e permanece em segundo lugar na história da equipe para este último.


Maxwell foi o MVP das finais da NBA de 1981, marcando 16 pontos por jogo e registrando mais de sete rebotes por jogo durante o campeonato.


Paul Pierce, nº 34 : 11 de fevereiro de 2018

“The Truth” jogou treze temporadas com os Celtics, de 2000 a 2013, e fica atrás apenas de Parish e Havlicek no total de jogos disputados com a franquia. Pierce é o segundo de todos os tempos em pontos marcados, o líder da equipe em arremessos de três pontos convertidos e tentados, roubos de bola e lances livres convertidos e tentados.


Pierce teve uma média de mais de 20 pontos, 1,4 roubos de bola, 6 rebotes e 4 assistências por jogo durante sua carreira com os Celtics. Ele foi um All-Star 10 vezes e foi o MVP das finais da NBA de 2008, ajudando a acabar com o jejum de título que perdurou por duas décadas.


Kevin Garnett, nº 5 : 13 de março de 2022

Quando Garnett se juntou ao Celtics antes da temporada 2007-08, ele mudou do número 21 para o número 5, embora o Hall of Fame tenha usado o número 21 durante suas primeiras 12 temporadas com o Minnesota Timberwolves, esse número já foi aposentado em Boston para Bill Sharman. Garnett foi o número 5 por seis temporadas com os Celtics antes de mudar para o número 2 após sua troca para o Brooklyn Nets em 2013. KG ganhou o campeonato da NBA de 2008 com os Celtics. Durante a temporada do título de Boston, Garnett teve uma média de 20,4 pontos e 10,5 rebotes por jogo em 26 jogos ao longo dos playoffs de 2008.


Esse foi o único título de Garnett. Ele liderou o Celtics para as finais da NBA em 2010, onde caiu para o Los Angeles Lakers em sete jogos.

 

Quando falamos de aposentar camisas na NBA sempre surge uma discução, afinal se pegarmos o celtics como exemplo, temos 25 números indisponíveis para os atletas e isso tratando-se de uma liga onde as principais estrelas são reconhecidas também pela numeração que utilizam pode existir certa resistência de jogadores vir para boston por conta disto.


E qual sua opinião sobre aposentar as camisas?

Se você pudesse decidir, como seriam a cerimônia de aposentadorias de camisa na NBA?

  • Mantem como está.

  • Sobe o Numero no ginásio mas permite a utilização dele.

  • Sobe o Nome do jogador no ginásio, nº livres.


17 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo